Arara-azul-e-amarela

A arara-canindé, também conhecida como arara-de-barriga-amarela, arari, arara-amarela, arara-azul-e-amarela, araraí e canindé, é uma das mais conhecidas representantes do gênero Ara, sendo uma das espécies emblemáticas do cerrado brasileiro e importante para muitas comunidades .

Apresenta pele nua, nas faces, de cor branca e com pequenas penas escuras, que formam riscas paralelas. Distingue-se pela plumagem verde na coroa e na fronte. Sendo considerada uma das mais bonitas espécies de arara. Machos, fêmeas e juvenis apresentam todos plumagem semelhante.

Quando vive em bandos, juntam-se até 20 indivíduos mas os casais distinguem-se voando sempre muito juntos. São aves muito ruidosas. Para além dos movimentos diários entre os locais de repouso e de alimentação podem realizar movimentos sazonais em função da disponibilidade de alimento.

A época de nidificação depende da localização geográfica, e o ninho é construído em altitude, em ocos de árvores, geralmente palmeiras. A incubação é realizada apenas pela fêmea e as crias são totalmente dependentes dos progenitores nos primeiros 3 meses de vida.

Conhecida também como arara-de-barriga-amarela, canindé, arara-amarela e ara-arauna. É um dos psitacídeos mais espertos.

Não é considerada como sendo ameaçada, embora seja apreciada como ave de gaiola. Suas populações estão diminuindo e algumas delas já estão extintas. Em Trinidad foi realizado um processo de reintrodução bem sucedido.

Nome Científico

Seu nome científico significa: do (tupi) ara = nome indígena tupi para designar várias espécies de papagaio; e do (tupi) ara = papagaio; e una = preto, escuro. ⇒ Papagaio escuro.

Características

Mede cerca de 80 centímetros de comprimento. Grande e de cauda longa. Inconfundível e vistosa coloração azul ultramarino no dorso, e amarelo-dourado na parte inferior desde a face, ventre até o rabo, garganta com linha negra e área nua na cabeça com linha de penas negras. Os jovens têm as asas e o rabo café-acinzentado e os olhos pardos.

ESPÉCIE SEM DIMORFISMO SEXUAL

 

 

Subespécies

Não possui subespécies.

Indivíduo com plumagem lutina

O que é luteinismo?

Luteinismo é a ausência total da melanina, porém presença de pigmentos carotenóides. Portanto a ave apresenta-se geralmente amarela, além de possuir olhos vermelhos.

 

 

Alimentação

Migra em certas épocas do ano, em busca de alimento. Desloca-se a grandes distâncias durante o dia, entre os locais de descanso e de alimentação. Alimenta-se basicamente de sementes, frutas e nozes.

 

 

Reprodução

Nidificam entre dezembro e maio em buracos no tronco de grandes palmeiras mortas, entre 10 e 25 metros de altura, pondo 2 ovos, que são incubados por 24-26 dias.

 

 

Hábitos

É localmente comum na copa de florestas de galeria, várzeas com palmeiras (buritizais, babaçuais, etc.), interior e bordas de florestas altas, a cerca de 500 m de altitude. Vive em pares ou em grupos de 3 indivíduos, combinação mantida também quando formam-se bandos maiores de até 30 indivíduos.

 

 

Distribuição Geográfica

Desde a Amazônia até o Paraná, sendo que antigamente chegava até Santa Catarina. Encontrada também no leste do Panamá e norte da Colombia, Venezuela, Guianas, Perú, Bolivia, até o norte de Argentina e Paraguai e no oeste do Equador.

 

920 Visualizações

Mais artigos: